Início / Resenhas / Literatura Estrangeira / Resenha | Um Passado Sombrio, de Peter Straub

Resenha | Um Passado Sombrio, de Peter Straub

UM_PASSADO_SOMBRIO_1455471013563529SK1455471013B Resenha | Um Passado Sombrio, de Peter StraubTítulo: Um Passado Sombrio

Autor: Peter Straub

Editora: Bertrand Brasil

Páginas: 392

Gênero: suspense, Mistério, Terror

Fonte: Cortesia da Editora

Skoob

Compre aqui

Sinopse (Skoob): O inigualável mestre do horror e do suspense retorna com um livro poderoso e aterrorizante que redefine o gênero de maneira única e inesperada.
Em 1966, um carismático e astuto guru, de passagem por um campus universitário do Meio-Oeste norte-americano, reúne um restrito grupo de discípulos, entre estudantes de colegial e universitário de fraternidade, num ritual secreto que resulta em um corpo horrivelmente dilacerado, um garoto desaparecido e as almas abaladas de todos os envolvidos. Quarenta anos depois, um escritor de relativo sucesso e amigo de infância da maioria dos garotos que participaram do ritual – além de marido de uma das garotas envolvidas –, sai em busca de informações sobre essa noite aterrorizante, com um projeto de livro em mente. Porém, para consegui-las, precisará não apenas reencontrar antigos colegas com quem perdeu o contato há décadas, mas também incitá-los a reexaminarem os eventos inomináveis que os têm assombrado desde então. Ao revelar as histórias individuais dos membros do grupo, Um Passado Sombrio eletrifica o leitor de maneira arrepiante e imprevisível – e prova que Peter Straub é, indiscutivelmente, um mestre do horror moderno.

RESENHA

“Aterrorizante!” (Stephen King)…

O mais recente trabalho do escritor americano Peter Straub – “A Dark Matter” (lamentavelmente traduzido para o português como “Um Passado Sombrio”), está mais para um suspense psicológico do que terror. Entretanto, o escritor constrói habilmente a teia dos acontecimentos e nos faz ir e vir entre várias décadas da vida dos personagens já que Um Passado Sombrio é contado em grande parte por monólogos, testemunhos e lembranças.

Toda a trama está centrada em acontecimentos ocorridos em Madison, Wisconsin, em 1966 onde um grupo de amigos do colégio é envolvido por Spencer Mallon, um vigarista e suposto guru. Com Mallon e outros discípulos, os quatro amigos – Donald “Don” Olson, Howard (Hootie) Bly, Jason “Boats” Boatman e Lee Truax (conhecida como Eel) – participam de um ritual secreto que deixa um participante morto e as vidas de todos os outros completamente despedaçadas. As suas vidas nunca mais foram as mesmas…

Algumas décadas mais tarde, Lee Harwell, namorado de Eel e agora, seu marido, é um escritor de sucesso. Tendo evitado os contatos com Mallon, passou sua vida adulta fora desse círculo. Sua mulher se recusa a discutir o assunto, e ele não tem ideia dos eventos que aconteceram naquela noite fatídica ao executarem um ritual. Impulsionado pela curiosidade, ele começa a explorar o que aconteceu e a compilar uma versão dos acontecimentos que é tão terrível para os que participaram, indo atrás do seguidores de Mallon naquela época. Porém não será fácil descobrir porque sua esposa ficou cega; Hootie enlouqueceu; Boats continuou sua vida de roubos e Don se tornou um criminoso.

Naquela noite, alguma coisa deu muito errado e ao tentarem seguir o ritual, atraíram destruição! Cada um viu e sentiu alguma coisa diferente, escuridão e ruína, dor e desespero. O ritual termina com morte, desaparecimento e todos extremamente abalados.

Neste ponto, Peter Straub é genial! Quando você sente que está chegando perto de desvendar o mistério que se esconde por trás “daquela noite”, é forçado a parar, como se Straub dissesse: “Por enquanto para você está bom…“. Ele também usa várias vozes ao narrar os acontecimentos, embora tudo seja dito através de Lee, são seus amigos que recontam sua versão daquela noite.

E o constante salto no tempo garante a leitura contínua e cheia de suspense. A construção dos personagens e seus dramas internos, seus defeitos, além do mistério sempre presente, fornecem uma boa trama em uma obra que deve ser lida lentamente para não perder nenhum detalhe.

O que de fato aconteceu naquela noite com os amigos e o guru Mallon? Só lendo para  descobrir! Comece agora!!!

Sobre o trabalho gráfico da Editora Bertrand Brasil, as folhas são brancas porém não atrapalham o entendimento e a fluidez da leitura. A capa é ótima!

 

Sobre Pedro Moraes

Veja Também

Resenha | Devaneio, de Augusto de Brito

Não se sabe como ou em que circunstâncias aquele homem havia chegado até a praia, …

Resenha | O Livro dos Espelhos, de E.O. Chirovici

A verdade de um é a mentira de outro. Um livro com uma trama tão …

Resenha | Minhas conversas com o diabo, de Mário Bentes

“Cortem a criança ao meio e dê cada parte a uma mulher”, disse o Rei …

Deixe uma resposta

Loading Disqus Comments ...
Loading Facebook Comments ...
Pular para a barra de ferramentas