Início / Resenhas / Literatura Nacional / Resenha | Terra do Sol, de Eliana Portella

Resenha | Terra do Sol, de Eliana Portella

Terra-do-Sol-EscrevArte-200x300 Resenha | Terra do Sol, de Eliana PortellaTítulo: Terra do Sol

Autora: Eliana Portella

Editora: Coerência

Páginas: 450

Gênero: Romance

Fonte: Cortesia da Editora

Skoob

Compre aqui

Sinopse (Fonte: Skoob) Dmitry e Natasha Pasternak desembarcaram no Brasil em meados de 1976 com destino ao Amazonas. Os jovens e louros doutores integravam uma elite de médicos pesquisadores soviéticos. E foram necessários bem mais que insistentes convites para ingressarem na aventura de trocar Moscou por uma floresta. Dividiam as mesmas paixões, entre elas a ideia de deixar a Rússia e se aventurar num país de terceiro mundo, o que parecia mais um devaneio que um sonho; e trocar a terra natal pelo Brasil nunca fizera parte de seus planos.
Uma expedição em terras brasileiras, que deveria durar um curto período de tempo, tem seus propósitos desviados pelo sol que brilha todos os dias na pele, no coração e na alma daqueles que encontram muito mais que o resultado de suas pesquisas científicas. Encontram o amor, a amizade e o desejo de viver intensamente a aventura de se entregar aos seus mais secretos sonhos e anseios.
A jovem Iara, nativa da terra quente e descendente de índios, entra na vida e nos corações do jovem casal recém-chegado das terras álgidas.
Natasha, vivendo um momento crucial em sua carreira, dá à luz Yuri e o entrega aos cuidados da brasileira. O menino, de corpo nativo e coração estrangeiro, será criado ao lado de Moara, filha de Iara. Assim como sua mãe, ela também vai entrar em seu caminho.
E o que começou como uma brincadeira de infância acaba tomando grandes proporções na medida em que a vida com seus mistérios os convida a viver uma experiência apaixonante e proibida.
Para uns, o amor está sempre em primeiro plano; para outros, ele é só um detalhe. E enquanto o destino brinca com a existência daqueles que acreditam serem donos absolutos de suas verdades, a ilusão e a realidade se confundem e maltratam os corações desavisados.

RESENHA

Normalmente eu não me prendo muito às sinopses para escolher ler um livro. Em geral eu faço uma junção entre título, capa, sinopse e comentários sobre uma obra para me decidir ler ou não. O motivo pode ser muito bem expressado por esta obra: a sinopse apresenta apenas uma pequena parte de tudo que o leitor vivencia nestas páginas! Mas muito pequena mesmo… Incrível quantas histórias, começos, continuações e finais cabem em 450 páginas. É um livro bastante denso! Leitor: não se prenda à sinopse!

O casal Dmitry e Natasha desembarcam no Brasil em 1976. Um tempo depois Natasha tem um filho, Yuri, e a jovem Iara, mãe de Moara, torna-se sua ajudante. Mais um tempo se passa, Dmitry fica viúvo e a índia Iara passa a ser mais do que uma ajudante, uma colaboradora. A história deste novo casal vai se desenrolando e somos apresentados a uma relação de muito amor, cumplicidade, muitos problemas e superações, amizades traídas e vingança. Alguns fortes acontecimentos na vida deste casal chegam a surpreender e arrepiar. Mas no fim, suas vidas vão se acertando e o amor sempre fala mais alto.

Neste ponto você, leitor, pode achar que eu estou contando demais e dando spoilers mais do que permitidos. Mas não. O lindo amor de Dmitry e Iara é apenas o plano de fundo para a grande história do livro. Em Terra do Sol acompanhamos a trajetória de vida, os acertos, os erros, as descobertas, o amadurecimento, os amores e os dissabores de Moara e Yuri. O filho de Dmitry e a filha de Iara.

Yuri quer ser médico, como os pais. Moara ainda não sabe bem o que quer ser, mas a sua beleza única e estonteante determina por ela: torna-se modelo. Mas os dois, ainda que tomando caminhos extremamente opostos, nutrem um sentimento que deve ser escondido de todos e que os consome. Não há um só dia que este sentimento não os sobressalte, que não os guie…

Mas, assim como na ‘vida real’, as coisas nem sempre são como gostaríamos que fosse e “querer” algo não é a única condição para que aconteça. Na verdade, acontece mais o que não queremos do que o que desejamos, ou pelo menos aquilo que acreditamos desejar. Nestes termos, Terra do Sol é uma grade história. Fala de vida, de escolhas, de desilusões, de vitórias e de amores.

Minha opinião sobre a trama: Inicialmente eu tive a impressão de que as coisas aconteciam rápido demais. Em poucas dezenas de páginas tanta coisa já compunha a história que me pareceu que iria faltar profundidade na trama até completarem as 450 páginas. Outro detalhe é que me pareceu, ainda que muito sutilmente, haver uma certa caracterização do Brasil como país pobre e de terceiro mundo. Em geral eu detesto este tipo de insinuação. A felicidade é que isso foi só um breve sentimento, bem no comecinho do livro, e esta sensação se dissipou completamente no decorrer da trama. Ufa! À medida que a leitura fluía, fui entendendo que esta primeira parte era a elaboração do cenário ideal para entendermos tudo o que viria a seguir. Este foi o livro 1.

No livro 2 a cadência da história torna-se ideal, o desenrolar é mais detalhado e o envolvimento do leitor com a trama se torna palpável. Impossível não se envolver com os personagens principais – Moara e Yuri – e sentir com eles, temer com eles e se alegrar com eles. De fato a autora conseguiu criar personagens bem distintos, com personalidade bem marcada e que apresentaram, no decorrer dos capítulos, um crescer notável na maturidade, embora sem perder sua essência. Gosto muito quando os personagens têm atitudes e perfis reais como os que encontrei nesta história.

E na terceira última parte de Terra do Sol o leitor vivencia tomadas de decisões duras mas necessárias, abordadas pela autora de forma a convencer que era assim mesmo que tudo deveria acontecer, ainda que pudéssemos desejar alguma outra coisa para o desenvolvimento, páginas atrás. Seus argumentos são convincentes. Compartilhamos as decisões dos personagens sem ressalvas.

Eliana Portella sem dúvida é uma mente apaixonada e feliz. Sua escrita envolve e emociona. A história de Terra do Sol é fluída, com altos e baixos na medida certa, apresenta personagens reais e proporciona ao leitor sensações que vão desde a risada gostosa até a sensação de tristeza e dor. Enfim, é uma obra que merece ser lida!

Em se tratando da edição, mais uma vez a Coerência apresenta uma obra com capa lindíssima, que está muito dentro da história. Achei muitíssimo bacana o perfil do casal da capa. Quando ler a história, vai notar que eles representam mais de um casal do livro. Todos eles se encaixariam perfeitamente nesta capa! No miolo, só me incomodou um pouco a diagramação, que apresentou falhas de travessão em vários diálogos e não inseriu nem um pequeno espaço sequer quando da troca de foco da narrativa dentro de um mesmo capítulo. Estávamos com Moara no Brasil e no parágrafo imediatamente abaixo já nos encontrávamos em Moçambique com Yuri. Acho que pelo menos uma indicação que haveria esta transação de foco seria bacana. Fica como dica para as próximas edições do livro.

Na minha avaliação geral, é o livro ideal para corações apaixonados e para os amantes de um bom romance. Vale a pena ser lido! Vale a pena conhecer a história de Dmitry, Natasha, Iara, Yuri, Moara e outros mais, tão importantes quanto estes. Leia Terra do Sol!

 

Sobre Nadja Moreno

Administradora, professora, blogueira, mãe, leitora voraz. Muitas facetas, uma só alma. Sonho com um país mais leitor, mais crítico, mais evoluído e altruísta.

Veja Também

Resenha | Tempestades de Sangue, de Kel Costa

Sasha está desolada pela morte de sua amiga Helena, que morreu diante de seus olhos …

Resenha | Alec Dini, de F. R. Pan

Quando o jovem Alec Dini é misteriosamente transportado ao futuro, ele não faz ideia dos …

Resenha | Os Sete, de André Vianco

Uma caravela portuguesa de cinco séculos é resgatada de um naufrágio no litoral brasileiro. Dentro …

Deixe uma resposta

Loading Disqus Comments ...
Loading Facebook Comments ...
Pular para a barra de ferramentas