Início / Resenhas / Literatura Nacional / Resenha | Para Sempre Ana, de Sergio Carmach

Resenha | Para Sempre Ana, de Sergio Carmach

PARA-SEMPRE-ANA-EscrevArte-211x300 Resenha | Para Sempre Ana, de Sergio CarmachTítulo: Para Sempre Ana

Autor: Sérgio Carmach

Editora: Caravansarai

Páginas: 336

Gênero: Romance, Suspense

Fonte: Ebook cortesia do autor

Skoob

Sinopse: Livro indicado na categoria “melhor romance” do Prêmio Literário Codex de Ouro 2013.

Na mística Três Luzes, o leitor percorre inicialmente três momentos afastados no tempo, onde três homens, de três gerações da família Rigotti, experimentam situações-limite pela influência de uma mesma mulher: Ana. A partir daí, a narrativa o leva a uma instigante viagem, nem sempre linear, entre meados do século XX e o início do XXI, na qual os dramas, o passado, o verdadeiro caráter e os segredos de cada personagem são pouco a pouco desnudados.

A trama é conduzida pela busca de Ana e pela busca por Ana, forasteira misteriosa que abala os triluzianos e cuja trajetória se funde à dos demais em uma história carregada de luzes e sombras. A busca de Ana arrebata as emoções; a busca por Ana arrebata os sentidos. E ambas surpreendem. Sempre que tudo parece esclarecido, detalhes antes considerados sem importância provocam uma reviravolta geral na história. Até o último capítulo.

Descubra se os mais atordoantes segredos de Três Luzes estão mesmo nos céus ou no fundo da alma de seus moradores.

RESENHA

Este livro me fez perceber, mais uma vez, que o número de páginas não é o principal indicador da velocidade em que se conseguirá ler um livro. Mais de trezentas páginas, e é possível devorá-lo em algumas horas, dado o quanto é envolvente e instigante.

Três Luzes é uma cidadezinha mística, cujo nome remete a antigos avistamentos de luzes não identificadas, o que muita gente atribuiu a OVNIs. Lá vivem os Rigotti. Família conhecida e respeitada por todos, mas que tem em suas entranhas a presença de uma mulher – Ana – que parece ter o dom de abalar as estruturas e afastar a calmaria desta casa. Pois bem, quem é Ana?

Para responder a esta pergunta é preciso viajar pelas mais de trezentas páginas desta narrativa ora poética, ora prosaica e até mesmo incômoda. É preciso viajar no tempo e se deslocar entre as gerações dos Rigotti. E posso te garantir. Ainda que viaje pelas páginas com total atenção, ainda que tenha o discernimento e entendimento livre de amarras e limitações, mesmo assim pouco saberá sobre Ana até que encerre a leitura. Pode, mesmo neste ponto, duvidar de muita interpretação feita por si mesmo. Pode ser que no final ainda reste a pergunta: Quem é Ana?

Numa mistura bem dosada de instigantes comentários, atos impensados, resultados inesperados e revelações assustadoras, Para Sempre Ana é um livro para se degustar. A fluidez da escrita do autor varia um pouco, de acordo com a mensagem que quer passar, pelo que me pareceu. Em dados momentos, parece que a sua ânsia era por exigir do leitor uma reflexão acerca de seus próprios pensamentos, suas próprias escolhas. Em outros momentos a história tem tão somente o sentido do prazer da leitura e a descoberta dos fios que tramaram a história destes personagens. No fim, é um livro que oferece um vai-e-vem de sensações e sentimentos que justifica grandemente sua leitura.

Não é raro encontrarmos livros que transitam entre épocas, décadas, cenários e às vezes até eras, proporcionando uma viagem complexa ao leitor. É gratificante quando uma narrativa que usa deste recurso o faz com maestria, facilitando a localização do leitor no tempo e no espaço. Sergio apresenta esta sagacidade nesta obra e o trânsito entre tempos e fatos soa bem natural e sequencial.

Enfim, posso dizer que o livro merece ser lido. Há alguns erros de revisão que certamente serão corrigidos numa nova edição. E é possível que o leitor tenha a sensação de uma certa falha na sequência dos acontecimentos, em especial quando a mesma ação é retratada depois, sob uma nova perspectiva, pelo ponto de vista de outro personagem. Creio que possa ser somente sensação e que na verdade tudo se casa e os fios soltos são amarrados, entretanto pretendo ler novamente para tirar esta pequena dúvida. Em suma, recomendo a leitura!

 

 

Capa & Diagramação
Narrativa & Diálogos
Enredo
Personagens
Revisão

Sobre Nadja Moreno

Administradora, professora, blogueira, mãe, leitora voraz. Muitas facetas, uma só alma. Sonho com um país mais leitor, mais crítico, mais evoluído e altruísta.

Veja Também

Resenha | Nos braços do roqueiro, de Terri Anne Browning

Sair em turnê com quatro roqueiros parece um sonho… Pelo menos é o que as …

Resenha | Dominic, de L. A. Casey

Depois de um acidente que matou seus pais, quando ainda era uma criança, Bronagh Murphy …

Resenha | Protegida por mim, de Elizabeth Bezerra

Ao perceber que a esposa, grávida de seus gêmeos, está em perigo, Neil sente que …

Deixe uma resposta

Loading Disqus Comments ...
Loading Facebook Comments ...
Pular para a barra de ferramentas