Resenha | Oníria, de Joana Santos Silva

capa_onria_ebook-201x300 Resenha | Oníria, de Joana Santos Silva“Oníria” são pedaços de uma vida, aconchegada entre o passado e o presente, entre o sono e o sonho. Inquietações que nos apanham de olhos ainda cerrados, desligadas da realidade apenas na medida certa.
Esta é uma obra de sobressaltos que podiam ser os nossos, povoada por desassossegos que são de todos. Feita de momentos que, ao romper da aurora, nos fazem seguir em frente.

RESENHA

“Oníria” é uma obra inquietante, apesar de o título levar a um significado que se caracteriza em irrealidade. Em alguns momentos da leitura, fiquei a pensar se certos acontecimentos narrados em uma prosa encantadora não haveriam permeado a vida real da poetisa.

São poemas carregados de uma linguagem que traz momentos da vida, ora no passado, ora no presente e que se mesclam com o mundo real e o mundo dos sonhos. Tanto em momentos de repouso ou em momentos em que a imaginação percorre caminhos inimagináveis as palavras e seus sentidos estão ali, a nos causar certa inquietação.

Os poemas de Joana possuem um misto de assombros, de nostalgia e sensações súbitas. Momentos que fazem parte da vida das pessoas, desde o nascer do sol, até o último traço de luz no final de tarde.

A escrita da autora é tocante, os poemas trazem um apelo emocional surpreendente, difícil escolher o que mais me emocionou, cada um despertou em mim um tipo de sensação. Adorei ter a oportunidade de ler este livro.

“Deito em almofada
Pensamentos de vento
Não quero ser acordada
O que eu quero eu invento”…

A capa é linda, as páginas amarelas e de ótima qualidade, alguns poemas estavam datados, fato que achei interessante, isso possibilitou saber exatamente quando foi escrito.  Não encontrei erros de revisão. A edição e diagramação estão incríveis. Parabéns à editora.

Recomendo!

Editora: Chiado
Páginas: 72
Gênero: Poemas, Poesias
Autora: Joana Santos Silva

Oniria

Recurso Poéticos
Estrutura & Organização
Capa & Diagramação
Revisão

Excelente!

"Oníria" é uma obra inquietante, apesar de o título levar a um significado que se caracteriza em irrealidade. Em alguns momentos da leitura, fiquei a pensar se certos acontecimentos narrados em uma prosa encantadora não haveriam permeado a vida real da poetisa.

Sobre Rê Souza

"A literatura como toda arte, é uma confissão de que a vida não basta" (Fernando Pessoa)

Veja Também

Literatura Nacional | Série A Caverna Cristalina em evento literário na França!

Dias 22 e 23 de Julho acontece, na França, o Festival Le Dormantastique. A autora …

Resenha | O Poeta, de J.B. Santana

“O poeta é um tremendo filho da lua.” Eu me chamo Antônio Resenha: O Amor …

Resenha | Vinícius, de Marquinhos Paralama

Vinícius é um menino que procura ajudar todos ao seu redor e acaba em variadas …

Deixe uma resposta

Loading Disqus Comments ...
Loading Facebook Comments ...
Pular para a barra de ferramentas