Início / Resenhas / Literatura Nacional / Resenha | O Senhor da Luz, de Graciele Ruiz

Resenha | O Senhor da Luz, de Graciele Ruiz

o-senhor-da-luz-189x300 Resenha | O Senhor da Luz, de Graciele Ruiz

Título: O Senhor da Luz – A Saga de Datahriun

Autor: Graciele Ruiz

Páginas: 317

Editora: Novo Século

Gênero: Ficção

Skoob

Compre Aqui

Sinopse (Skoob): Lícia se sentiu muito sozinha quando o seu avô morreu, deixando uma chave e um pedido. Essa chave abria uma caixa muito poderosa, capaz de trazer de volta o equilíbrio de seu planeta: Datahriun. Porém, ela só poderia ser aberta por cinco chaves. A de seu avô era somente uma delas, e o seu pedido era para que Lícia as reunisse e encontrasse os seus guardiões. Desse modo, eles poderiam fazer o que ninguém havia feito antes.
Uma história sobre sonhos e perseverança, envolvendo batalhas, amores e grandes amizades. Uma saga insana pela recuperação de Datahriun, onde vivem criaturas misteriosas com poderes fantásticos.
Um lugar onde a magia é somente o começo!

RESENHA

Logo que abri o livro O Senhor da Luz, uma frase na folha de rosto chamou-me a atenção. Bem abaixo do título havia os dizeres “Coleção Novos Talentos da Literatura Brasileira”. Claro que foi impossível não pensar em quantas vezes eu mesma havia optado por um jovem escritor brasileiro do que por um conhecido e renomado autor estrangeiro.

Iniciei então a leitura para conhecer a história de Licia, uma jovem que parte em uma longa jornada à procura dos guardiões das cinco chaves de Selaizan, conhecido como o Senhor da Luz, depois da morte de seu avô.

A incrível sensação que tive ao ler o livro foi de estar em um ambiente ao mesmo tempo conhecido e tão novo e diferente de tudo aquilo que eu já havia lido diversas vezes. Em certos momentos, é possível sentir a magia do universo de Harry Potter, seja pelos personagens, pelos ambientes fantásticos e também pela delicadeza e cuidado com os diálogos e as relações entre Licia e seus amigos.

Em outros, a narrativa te transporta para tempo mais antigos e te faz inspirar e expirar o ar de Tolkien, em O Senhor dos Anéis. No entanto, as lembranças e a sensação de nostalgia de obras famosas e já conhecidas são bem sutis, se comparadas à originalidade com que Graciele cria, tão bem e coerente, seu próprio universo: o mundo de Datahriun, onde os moradores são divididos por clãs, que dominam seu próprio poder. Fadas, dragões, pessoas com asas e controladores do ar, fogo, água, raios e tudo que se pode imaginar.

A maestria da narração te fazem perder o fôlego em vários momentos e torcer verdadeiramente para que Licia cumpra sua missão. É simplesmente impossível parar de ler até alcançar a última página e acredite, é ainda mais terrível se convencer de que terá de esperar pelo segundo livro. O que a autora faz com a obra é fascinante e digno dos mais renomados escritores, sejam eles brasileiros ou estrangeiros. Um livro que, sem sombra de dúvidas, vale a pena ler, muitas e muitas vezes.

Recomendo!

A capa é impecável e te transporta direto para o mundo mágico de Datahriun. A edição no todo é impecável e não encontrei nenhum erro, seja de digitação ou de diagramação.

Sobre Gabriela Bandeira

Jornalista mineira, totalmente apaixonada por literatura nacional e internacional. Autora do livro-reportagem Singularidades - Um olhar sobre o Autismo.

Veja Também

Resenha | Tempestades de Sangue, de Kel Costa

Sasha está desolada pela morte de sua amiga Helena, que morreu diante de seus olhos …

Resenha | Alec Dini, de F. R. Pan

Quando o jovem Alec Dini é misteriosamente transportado ao futuro, ele não faz ideia dos …

Resenha | Os Sete, de André Vianco

Uma caravela portuguesa de cinco séculos é resgatada de um naufrágio no litoral brasileiro. Dentro …

Deixe uma resposta

Loading Disqus Comments ...
Loading Facebook Comments ...
Pular para a barra de ferramentas