Início / Resenhas / Literatura Nacional / Resenha | O Baú de Maldições, de Antonio Voorhees

Resenha | O Baú de Maldições, de Antonio Voorhees

O-Baú-de-Maldições-EscrevArte-211x300 Resenha | O Baú de Maldições, de Antonio VoorheesTítulo: O Baú de Maldições

Autor: Antonio Voorhees

Editora: Clube de Autores

Páginas: 207

Gênero: Terror, Contos, suspense

Fonte: Cortesia do Autor

Skoob

Sinopse (Fonte: Skoob): Há muitos anos o baú vem guardando todo o tipo de maldição que você possa imaginar, a maldição da ganancia, das crenças, dos seres da escuridão, do assassinato e da vingança. Guardando as maldições que foram lançadas através dos séculos nos cemitérios obscuros, em pequenas cidades mortuárias, pragas lançadas durante a quaresma e noites de Sexta-Feira 13!

E agora todas essas maldições estão prestes a serem libertadas, o baú está prestes a ser aberto novamente, isso depende de você! Medo ou coragem?

Nesta edição de aniversário do livro, o autor separou uma coletânea com os melhores contos de terror envolvendo casas antigas, cemitérios, lendas urbanas, vingança, pecado e seres malignos. Abra o baú e enfrente o seu pior pesadelo!

RESENHA

Eu gosto do gênero terror / suspense desde que me conheço por gente. Tanto em filmes quanto em livros, é um gênero que me chama atenção e que busco sempre, às vezes até mesmo sem perceber. Quando vejo, estou eu lá no aplicativo Netflix verificando se chegou alguma coisa nova do gênero.

Em função disso, por gostar muito e ler/assistir muito do gênero, acabei me tornando um tanto crítica porque nem sempre a obra consegue me arrancar arrepios ou aquela comum, porém incômoda sensação de “ter algo me observando”, ou “sentir uma presença ao redor ou atrás de mim”. Comecei lendo os contos de Voorhees sem análises prévias e aguardei para ver o que ele tinha a me oferecer.

Foi incrível perceber que o autor realmente possui a “veia do terror” em suas entranhas. Suas histórias não soam como algo forçado, não é aquele pseudo-terror que na verdade é um banho de sangue, não explica os detalhes dos assombros, o que tiraria todo o seu glamour. Não. O autor apresenta histórias que deixam a dose certa de análise e interpretação por parte do leitor, logo depois de oferecer vários elementos. Perfeito! Alimenta a mente e meio que vai embora. Receita infalível para calafrios.

Os contos são únicos mas possuem um fio que os une e conduz. A escrita de Voorhees é clara e objetiva, alguns contos são em primeira pessoa e outros em terceira, e é possível ler o livro todo de uma só vez. Inclusive, uma nota logo no começo pode exigir ao leitor mais medroso que leia logo, para terminar logo, e ficar livre da maldição logo! (risos)

A edição que tive acesso é a “Edição de Aniversário”. É simples, com capa que apresenta o que vem a seguir sem revelar muito, folhas brancas com fonte um pouco maior que o tradicional. Encontrei alguns erros de revisão mas que não atrapalharam a leitura em momento algum.

Em suma, é um livro interessante, gostoso de se ler (se você gosta de terror, claro). Me gerou o desejo de ler mais da escrita deste autor jovem e talentoso. Espero que ele se mantenha na literatura e nos presenteie com mais calafrios! Recomendo!

 

O Baú de Maldições

Capa & Diagramação
Narrativa & Diálogos
Enredo
Personagens
Revisão

Muito bom!

Sobre Nadja Moreno

Administradora, professora, blogueira, mãe, leitora voraz. Muitas facetas, uma só alma. Sonho com um país mais leitor, mais crítico, mais evoluído e altruísta.

Veja Também

Resenha | Ruínas de Gelo, de Kel Costa

Depois de salvar Mestre Klaus da morte quando o vampiro sacrificou-se para matar seu irmão …

Literatura Nacional | Promessa de Fogo, de Thiago d’Evecque

Sinopse:  “Aqueles atraídos pelo Abismo estão destinados a encontrá-lo”. Alicia é uma fazendeira de vida …

Resenha | Tempestades de Sangue, de Kel Costa

Sasha está desolada pela morte de sua amiga Helena, que morreu diante de seus olhos …

2 comentários

  1. Eu sou apaixonada pelos livros e pelo Antonio voorhees!

Deixe uma resposta

Loading Disqus Comments ...
Loading Facebook Comments ...
Pular para a barra de ferramentas