Início / Resenhas / Literatura Estrangeira / Resenha | Meio Rei, de Joe Abercrombie

Resenha | Meio Rei, de Joe Abercrombie

9788580415612-230x330 Resenha | Meio Rei, de Joe AbercrombieJurei vingar a morte do meu pai. Posso até ser meio homem, mas sou capaz de fazer um juramento por inteiro.

Filho caçula do rei Uthrik, Yarvi nasceu com a mão deformada e sempre foi considerado fraco pela família. Num mundo em que as leis são ditadas por pessoas de braço forte e coração frio, ser incapaz de brandir uma espada ou portar um escudo é o pior defeito de um homem. 

Mas o que falta a Yarvi em força física lhe sobra em inteligência. Por isso ele estuda para ser ministro e, pelo resto da vida, curar e aconselhar. Ou pelo menos era o que ele pensava. 

Certa noite, o jovem recebe a notícia de que o pai e o irmão mais velho foram assassinados e não lhe resta escolha a não ser assumir o trono. De uma hora para outra, ele precisa endurecer para vingar as duas mortes. E logo sua jornada o lança numa saga de crueldade e amargura, traição e cinismo, em que as decisões de Yarvi determinarão o destino do reino e de todo o povo. 

Joe Abercrombie nos apresenta um protagonista surpreendente, numa história de percalços e amadurecimento que abre a trilogia Mar Despedaçado.

Resenha

Meio Rei é o primeiro livro da trilogia Mar Despedaçado, e nele conhecemos o Príncipe Yarvi, filho mais novo de Uthrik, Rei de Gettland. Yarvi nasceu com uma deficiência na mão esquerda que sempre o fez ser desprezado por todos, incluindo seu próprio pai. Devido a sua deformidade, ele é visto como uma espécie de aberração e acreditava que o mais apropriado seria se tornar Ministro, se dedicando aos ensinamentos místicos, línguas e ervas. Esses Ministros são os conselheiros reais e servem ao Pai Paz ao invés da Mãe Guerra, duas das divindades cultuadas pelo reino (observem a curiosa inversão, o Pai é a Paz e a Mãe é a Guerra!). Mas ao receber a notícia da morte de seu pai e de seu irmão em uma emboscada, ele se vê obrigado a assumir o trono de seu reino por ser o próximo na linha de sucessão. Sem escolha, ele assume o Trono Negro, e a partir daí começa uma trama cheia de crueldade, traições e cinismo.

– Escute, Yarvi, e escute bem. Você é o rei. Pode não ser o rei que desejávamos, mas é o que temos. Agora todas as nossas esperanças estão depositadas em você, que está à beira de um precipício. Você não é respeitado. Tem poucos aliados. Deve se casar com Isriun, a filha de Odem, como seu irmão iria fazer. Está tudo combinado.

O livro é dividido em três partes, sendo elas O Trono Negro, O Vento Sul e A Longa Estrada, que nos mostra muito bem a “jornada do herói” de Yarvi. Abercrombie nos apresenta uma história repleta de emoção e aventura, uma história recheada de boas cenas de ação. É uma narrativa rápida e direta, onde o autor não perde tempo com longas e detalhadas descrições.

No início eu imaginei ter em mãos um livro que caminharia para uma história boa sim, mas bem óbvia, indicava ser uma trama cheia de clichês. Mas não foi isso que encontrei mais a frente, a história possui algumas coisas bem óbvias, mas nos surpreende em outras tantas…

Um bom rei sacrifica tudo para vencer e esfaqueia quem for preciso, como puder. O grande guerreiro é o que ainda respira enquanto os corvos se refestelam. Um grande rei é o que observa as carcaças dos inimigos queimarem.

Com relação ao projeto gráfico, temos uma belíssima capa com ilustrações que mostra bem o que encontraremos na obra. A diagramação segue o padrão simples e bem acabado da Arqueiro. Também encontramos no início do livro um mapa bem interessante ilustrando os lugares vistos na trama.

Este é um livro bem recomendado para quem curte uma boa fantasia épica, em especial àqueles fãs das tramas maquiavélicas de Game of Thrones. É uma aventura épica cheia de segredos, mortes e vinganças, e que não abre muito espaço pro romance (apesar do autor inserir alguns possíveis interesses amorosos nela). Meio Rei é uma história que possui uma cultura própria, e é repleta de intrigas misteriosas e reviravoltas impressionantes, como as grandes obras devem ser. É uma deliciosa mistura de As Crônicas de Gelo e Fogo com O Conde de Monte Cristo.

– Posso até ser meio homem, mas sou capaz de fazer um juramento por inteiro.

Meio Rei - Mar Despedaçado I

Capa & Diagramação
Narrativa & Diálogos
Enredo
Personagens
Revisão

Excelente!

Meio Rei é uma história que possui uma cultura própria, e é repleta de intrigas misteriosas e reviravoltas impressionantes, como as grandes obras devem ser. É uma deliciosa mistura de As Crônicas de Gelo e Fogo com O Conde de Monte Cristo.

Sobre Cleson Cruz

Sou potiguar com muito orgulho, pai e marido. Engenheiro Eletricista e Designer Gráfico de formação. Gosto muito de música e cinema. Sou viciado em séries de TV. E leio muito quadrinhos e livros desde a minha tenra infância.

Veja Também

Lançamento | Arlock – Um conto de Ellora

Arlock, Um conto de Ellora Sinopse: O jovem elfo Hevan Arlock passou a infância sendo …

Resenha | O Vidente de Aparelho Quebrado, de Baltazar de Andrade

Ernie, que detesta esse apelido – então é exatamente assim que todos o conhecem –, …

Resenha Premiada | Lavínia e a árvore dos tempos, de Lucinei M. Campos

Lavínia é uma menina de 9, quase 10 anos, um pouquinho diferente das outras de …

Deixe uma resposta

Loading Disqus Comments ...
Loading Facebook Comments ...
Pular para a barra de ferramentas