Início / Resenhas / Literatura Nacional / Resenha | Grito, de Godofredo de Oliveira Neto

Resenha | Grito, de Godofredo de Oliveira Neto

Grito-Blog-EscrevArte-e1470944382772-194x300 Resenha | Grito, de Godofredo de Oliveira NetoTítulo: Grito

Autor: Godofredo de Oliveira Neto

Editora: Record

Páginas: 160

Gênero: Romance

Fonte: Cortesia de Oasys Cultural

Skoob

Compre aqui

Sinopse (Fonte: Skoob) Construído de forma que a performance e a teatralidade ocupem um lugar central, Grito é o epílogo da octogenária Eugênia e sua relação com o jovem e ambicioso Fausto. Em 21 atos, a narrativa é marcada pelo embate entre as esferas do real e do imaginário. Godofredo de Oliveira Neto experimenta formatos e problematiza a linguagem, conduzindo a partir da perspectiva da ex-atriz de teatro uma trama que transita entre o mundo da criação e da encenação.

RESENHA

O livro Grito é teatralizado o tempo inteiro, com uma história dividida em vinte e um atos. O autor faz uma mistura bastante interessante ente o real e o imaginário, fazendo com que  leitor chegue a se sentir um tanto em dúvida… É difícil separar o que é real do que não é.

Os personagens centrais são Eugênia, uma senhora de oitenta e poucos anos e Fausto, um jovem de dezenove anos. Eugênia é uma ex atriz de teatro aposentada que quer manter a arte em sua vida mesmo estando afastada dos palcos há muito tempo.

Fausto é vizinho de Eugênia. É um jovem que quer ser ator e pelo qual ela nutre uma admiração que beira a paixão ou algo que ela não saberia definir. Ela o retrata como um jovem muito bonito e com problemas no passado dos quais ele não gosta de falar, nem mesmo com ela com quem adquiriu tanta intimidade.

Ela tenta passar para ele um pouco da experiência que conseguiu no tempo em que trabalhou no teatro. À medida em que os dois ficam mais próximos, Eugênia nutre um sentimento de posse  em relação a seu aprendiz.

O desenrolar dos fatos é surpreendente com um final que nem mesmo o leitor mais atento desconfiaria. Vale a pena ler para conhecer este desenrolar inusitado que a mente imaginativa do autor soube criar.

Com muitos elementos de outros livros e arte, é um livro que eu recomendaria aos amantes do teatro. Possui poucas páginas e uma leitura fácil, terminei de ler em apenas dois dias, tanto pela fluidez quanto por conta da fonte, que tem tamanho um pouco maior que o normal. A capa chama bastante atenção e é condizente com a história. Em suma, recomendo. É uma leitura prazerosa!

Sobre Nadja Moreno

Administradora, professora, blogueira, mãe, leitora voraz. Muitas facetas, uma só alma. Sonho com um país mais leitor, mais crítico, mais evoluído e altruísta.

Veja Também

Resenha | História em Pedacinhos – As Casas da Minha Infância e os Tempos de Chá sem Açúcar, de Maria Cecília

− Olha ali! É aquele! O da camisa amarela! Sei que olhei, acenei… e fechei …

Resenha | Sorrisos Quebrados, de Sofia Silva

Paola: Perante Deus, meu marido prometeu me amar. Cuidar de mim. Ser meu amigo. Perante …

Resenha | Filha da Ilusão, de Teri Brown

Ilusionista talentosa, Anna é assistente de sua mãe, a famosa médium Marguerite Van Housen, em …

Deixe uma resposta

Loading Disqus Comments ...
Loading Facebook Comments ...
Pular para a barra de ferramentas