Início / Resenhas / Literatura Nacional / Resenha | Graham, o continente Lemúria, de A. Wood

Resenha | Graham, o continente Lemúria, de A. Wood

Graham-EscrevArte-211x300 Resenha | Graham, o continente Lemúria, de A. WoodTítulo: Graham, o continente Lemúria

Autor: A. Wood

Editora: Selo Jovem

Páginas: 210

Gênero: Fantasia

Fonte: Cortesia da Editora

Skoob

Compre aqui

Sinopse: “Essas criaturas malditas existem. São tão reais quanto qualquer pessoa. Elas existem, estão entre nós, e eu odeio todas elas. Quero vê-las mortas, torturadas, dizimadas. Estou aqui apenas para isso. Aniquilá-las uma por uma.”

Peter Graham é um caçador de vampiros, mas não foi sempre assim. Antes era um rapaz homossexual que enfrentava as dificuldades de uma sociedade dividida entre a aceitação, o respeito e a repugnância à sua condição. Tinha amigos, amores, preocupações e medos como qualquer jovem, mas tudo isso ficou no passado. O novo Peter é frio e destemido a conseguir seu objetivo: aniquilar o maior número de vampiros possível. No entanto, tudo sofre uma reviravolta quando se vê obrigado a realizar uma missão à Família de vampiros que procura há muito tempo: caçar e matar um lobisomem. O que Peter não esperava era se apaixonar por ele e acabar por descobrir um segredo muito antigo que pode ajudá-lo em sua busca…

RESENHA

O jovem Peter Graham, vive uma vida comum em uma cidade no Canadá, onde tem acontecido estranhos assassinatos. Mora com seus pais, Katelyn e Markus, que é professor em uma faculdade e está sempre fazendo pesquisas em seu escritório, o irmão mais velho Patrick, e a irmã mais nova, Sally. É uma pessoa esforçada, estagiário em uma empresa de publicidade e cursa faculdade. É muito feliz ao lado de Jordan, seu namorado, com quem tem um relacionamento sem o conhecimento de seus pais. Peter vive uma vida como a de qualquer jovem, enfrenta o preconceito e o medo de assumir a opção sexual aos pais e ser rejeitado em sua própria casa.

Por diversas vezes, Patrick toca no assunto de homossexualidade em sua casa, sempre com comentários preconceituosos e contra. Sally, por sua vez, defende o novo tipo de relacionamento e acredita que cada um pode ser feliz ao seu modo. Peter fica calado quando surgem discussões à esse respeito em sua casa, e se mostra sempre indiferente quanto às discussões dos irmãos.

Em um fim de semana, Peter convida Jordan para passarem uma noite juntos na casa do lago de sua família. Mente para a mãe dizendo que irá com alguns colegas fazer um trabalho da faculdade, no qual precisam retratar elementos da natureza. Logo após uma noite de amor com Jordan, pela manhã, Sally chega na casa em busca de alguns CD’s e acaba encontrando os dois juntos. Peter, então, conversa com  a irmã e diz que é gay. Sally diz que já imaginava, e que esse era mais um dos motivos para não concordar com Patrick.

Passados alguns dias, a família Graham está jantando em sua casa, quando surge um assunto a respeito de homossexualidade. Porém, desta vez, Peter não consegue se controlar diante das opiniões e acaba revelando a verdade aos seus pais e sai de casa, nervoso, em direção à casa de Jordan. Ao retornar, na mesma noite, encontra sua família morta, rodeada por inúmeros policiais em busca de uma explicação pelo crime. Todos os corpos jazem ao chão, mas o corpo de Sally não é encontrado.

Após algumas semanas do ocorrido, Peter por curiosidade, resolve ler as incansáveis pesquisas que o pai fazia durante sua vida, e descobre que ele estava prestes a provar a existência de criaturas das quais Peter só ouvira falar em histórias de fantasia: vampiros. O garoto, por si, conclui então o motivo do assassinato, e sai em busca de vingança, caçando os seres noturnos e na esperança de encontrar Sally e ter a irmã de volta.

Nesta trama, A. Wood cria uma história deliciosa, com personagens fortes e difíceis de esquecer, misturando a fantasia com assuntos que rodeiam frequentemente nosso cotidiano atual, como a homossexualidade, o preconceito e a dificuldade de aceitação dentro do núcleo familiar. O livro se passa diante de algumas caçadas de Peter e suas lembranças que vão construindo a história e dando sentido a ela, o que faz com que o suspense só aumente e nós leitores ficamos roendo as unhas de nervosismo rsrs.

Não encontrei nenhum tipo de erro durante a leitura, e tem uma linda ilustração (que acredito ser o Peter) no começo, o que nos ajuda a formar uma ideia de personagem com maior facilidade. Recomendo a leitura sem dúvidas!

 

Graham

Capa & Diagramação
Narrativa & Diálogos
Enredo
Personagens
Revisão

Muito bom!

Sobre Karen Souza

Veja Também

Resenha | Fortaleza Negra, de Kel Costa

Os vampiros dominaram o mundo. Em Fortaleza Negra, Aleksandra, ou Sasha como é chamada, vive …

Resenha | Tronos & Ossos – O Enigma do Chifre, de Lou Anders

Depois de atravessar florestas e desertos gelados para salvar Thianna, Karn precisará viajar montado num …

Lançamento | Arlock – Um conto de Ellora

Arlock, Um conto de Ellora Sinopse: O jovem elfo Hevan Arlock passou a infância sendo …

Deixe uma resposta

Loading Disqus Comments ...
Loading Facebook Comments ...
Pular para a barra de ferramentas