Início / Resenhas / Literatura Nacional / Resenha | Nenhum de Nós, de Marcelo Ferla e Bruto, de Thedy Correa

Resenha | Nenhum de Nós, de Marcelo Ferla e Bruto, de Thedy Correa

Bruto-Thedy-Correa-EscrevArte-210x300 Resenha | Nenhum de Nós, de Marcelo Ferla e Bruto, de Thedy Correa Nenhum-de-nós-Blog-EscrevArte-203x300 Resenha | Nenhum de Nós, de Marcelo Ferla e Bruto, de Thedy CorreaTítulo: Nenhum de Nós – A Obra Inteira de Uma Vida

Autor: Marcelo Ferla

Editora: Belas Letras

Páginas: 223

 

Título: Bruto

Autor: Thedy Correa

Editora: Belas Letras

Páginas: 136

RESENHA

Às vezes ouvimos algumas músicas que  nos transportam ao passado, de maneira que te faz lembrar o cheiro e gosto das coisas pelas quais viveu.

Às vezes lemos alguns livros que também são capazes de te fazer sentir saudades desse mesmo tempo, onde as coisas tinham cores diferentes, as pessoas eram diferentes, as músicas eram tão boas, que ainda hoje, sou capaz de duvidar que alguém consiga fazer algum som tão bom como naquele tempo que você se lembra de ter vivido os melhores anos de sua vida.

Mas a surpresa agradável vem quando você se vê lendo um livro, que conta a história de uma banda que marcou uma geração, e dai você viaja, aperta o play e vai curtindo o som que ainda te parece tão atual, que quando você percebe, descobre que as músicas estão marcadas, feito cicatrizes na alma.

Em Nenhum de Nós  – A Obra Inteira de uma Vida, vamos acompanhar a vida da banda que estourou com  Camila, Camila e que incrivelmente após 30 anos de carreira ainda nos brinda com novos sucessos.

A amizade entre eles vem de longa data, primeiro com Carlão e Sady, e anos mais tarde, Thedy,  e como o destino, acredito eu, seja escrito desde sempre, fez desse trio de Porto Alegre, uma das bandas mais famosas do Brasil.

A primeira vez que subiram no palco juntos foi em 1986, onde cantaram a música Roda Viva – Chico Buarque, mas só depois de muitos ensaios, alguns shows em um bar, e um ano depois, a Banda Gaúcha conseguiu gravar seu primeiro sucesso.

Interessante saber que antes de assinar o contrato com a gravadora, a banda tinha em seu currículo apenas  sete apresentações, e nunca haviam tocado em rádios antes do lançamento do primeiro disco.

Numa época onde pagode, axé e sertanejo eram ouvidos em todos os cantos do País, além das grandes bandas de rock que já faziam muito sucesso, e a banda de seus conterrâneos – Engenheiros do Hawaii –  também chegando com força total nas rádios, Nenhum de Nós conseguiu seu espaço após o sucesso de Camila, Camila,  e já no segundo disco com Astronauta de Mármore, conseguiriam seu primeiro disco de ouro.

A partir dai muitos sucessos vieram e críticas também, principalmente partindo de outras bandas, onde Astronauta de Mármore era o alvo, por causa dela, a banda era taxada como a banda que fazia versões, além de serem vistos no meio  roqueiro como intrusos…  uma banda formada por dois guris de apartamento e um gordinho tocador de pagode.

Em 1992 a banda deixou de ser um trio, e logo em 1994 deixou de ser um quarteto, e com essa formação que dura até hoje, o Nenhum de Nós está completando 30 anos de carreira, com muitas histórias para contar, e é exatamente isso que Marcelo Ferla fez nesse livro, página pós página,  nos conta muitas histórias de uma banda formada por esses caras incríveis, que demonstram  através de uma carreira que mesmo entre altos e baixos conseguiram se manter totalmente sólidos.

Agora imagine você recebendo um livro de uma banda que sempre gostou… desde a vida toda!! Quando esses caras surgiram eu tinha apenas 10 anos, e me lembro como se fosse hoje, eu cantando a plenos pulmões “Camilaaaa, Camilaaa…”  Já fiquei louca!!  Mas dai você recebe junto um livro chamado BRUTO,  que nada mais é que poemas e pensamentos que foram  escritos  por Thedy Correia. E não é só isso… Cópias das anotações de algumas músicas, rabiscos e rascunhos.

Para mim, que não sou muito dada a ler poemas, imaginei que seria um grande desafio, até o primeiro poema…  A sensibilidade é percebida tão facilmente que cheguei a perguntar qual a razão de nunca antes ter me interessado por algo tão bonito.

Dos mais diversos temas, além de explicações da história de algumas músicas, Bruto é verdadeiramente uma delícia de ler do começo ao fim.

Minha opinião:  Sempre me declarei fã de Nenhum de Nós, ouço sempre as que mais gostei, as que ficaram comigo, e sei que não vão embora… são músicas realmente boas, que não agridem os tímpanos de quem ouve, e  principalmente , que têm conteúdo.  Acontece que depois de Nenhum de Nós – A Obra Inteira de Uma Vida,  percebi que apenas era fã das músicas, que pouco sabia sobre os integrantes e que menos ainda da ótima história que foi escrita ao longo dos 30 anos.

E Marcelo Ferla conseguiu retirar o véu, e nos presenteia com um esse livro muito bom de ler.

Com uma diagramação perfeita, páginas em off-white, algumas páginas pretas, e de quebra fotos da banda de todos os tempos, só posso dizer que o livro é simplesmente sensacional.

De imediato sou surpreendida no primeiro capítulo, com o fiasco da apresentação feita em Poços de Caldas, com apenas  15 pagantes, e passado o choque inicial, a banda se aproximou do público, e fizeram o show como se fosse para 15 mil pessoas (chamo isso de humildade), os caras já estavam na estrada há quase 10 anos (acredito que alguns não fariam o mesmo).

Depois disso, saber que a Camila, Camila foi inspirada em alguém que conheciam e sofria abuso e violência, e que Jornais  surgiu após  uma volta pelas ruas, onde  Thedy viu tantas pessoas sem nada, dormindo nas ruas, é de se chocar com tamanha sensibilidade do líder da banda.

Sem contar os bastidores, o respeito entre eles, o futebol antes dos shows – eram péssimos, mas persistentes, tanto que levaram tão a sério, que conseguiram ganhar um campeonato.

E Bruto?? A característica física desse livro me ganhou de imediato, o livro acredito eu, tem esse nome, por vir em estado realmente bruto, sem capa, e com a aparência real de um livro de rascunhos. É simplesmente sensacional!!

Não encontrei erros de português, mas tenho uma pequena correção… Poços de Caldas fica no Sul de Minas, e não Sudoeste  como dito no livro.

 

…é real mas não é constante

é  febre ,vento, é escuridão

me queima, refresca e afaga

e assim me deixa sem direção…”

 

Sobre Renata Maiochi

Sou Renata... esposa, filha, amiga, e apaixonada pela vida! Administradora e leitora compulsiva. Livros alimentam meu vício e me fazem uma pessoa diferente a cada contra capa que fecho.

Veja Também

Resenha | Natal, férias e outras histórias, de Ana Cardoso

Título: Natal, férias e outras histórias Autor: Ana Cardoso Páginas: 120 Editora: Belas Letras Gênero: Contos / Literatura …

Resenha | Um Passeio no Jardim da Vingança, de Daniel Nonohay

Título: Um Passeio no Jardim da Vingança Autor: Daniel Nonohay Editora: Novo Século Páginas: 301 …

Resenha | O amor é uma tragada forte e sem filtro: em Poesias, de Daberli de Roma

Título: O amor é uma tragada forte e sem filtro: em Poesias Autor: Daberli de …

Deixe uma resposta

Loading Disqus Comments ...
Loading Facebook Comments ...
Pular para a barra de ferramentas