Início / Resenhas / Literatura Nacional / Resenha | Dito pelo não dito, Lendari Editora

Resenha | Dito pelo não dito, Lendari Editora

DITO_PELO_NAO_DITO-202x300 Resenha | Dito pelo não dito, Lendari EditoraNum final de semana, Joana acorda na casa do namorado mais cedo do que de costume. Se levanta e vai aos poucos buscando despertar Mauro. Impaciente que só ela, não demora muito para deixar a sutileza de lado e procurar acordá-lo a qualquer custo. Para sua surpresa, nada surte efeito. Nada mesmo. Ela fica preocupada, a ponto de decidir pedir ajuda. Mas é nessa hora que uma criatura aparece no quarto e deixa a história ainda mais peculiar.

Ela diz que a moça deve descobrir dez coisas que ainda não sabe sobre o namorado; que precisará falar com dez pessoas que sabem dessas coisas; e que cada uma delas terá um bom motivo para se recusar a ajudar. Assim a protagonista inicia sua jornada, numa investigação em meio a um universo repleto de estranhezas….

RESENHA

Nunca li um livro como este, e gostei da experiência.

Joana acorda numa manhã comum, e Mauro, seu namorado, continua dormindo. Ela prepara o café, faz barulho mais que o necessário para que ele desperte daquele sono exagerado e começa a se preocupar. Mauro não acorda. Simplesmente parece se recusar a abrir os olhos. Nem mesmo quando ela vai até ele e o chama. Desesperada com o que poderia estar acontecendo com o namorado, Joana se depara com Anaoj, velha amiga há muito desaparecida, que lhe diz que o que está acontecendo com Mauro poderá ser revertido quando ela descobrir dez coisas sobre ele, com dez pessoas diferentes.

Atordoada com tudo aquilo e sem imaginar o que tem de fazer, por onde começar, com quem conversar e até mesmo o que deverá descobrir, Joana sai do apartamento e a partir daí tudo fica estranhamente mágico, ao mesmo tempo que assustadoramente comum. Ela viaja por desconhecidos, por mundos e por sensações, levando o leitor pela mão, até que o desenlace explique tudo sem dizer muita coisa. Sem dúvida alguma esta história instiga o pensamento e imaginação do leitor. Tenho certeza que cada pessoa que o ler, terá uma interpretação diferente de cada situação em que Joana é colocada.

Emaranhado à história central vemos muito de crenças, costumes e cantigas populares, cartas do tarô e vertentes de teorias de diversas dimensões. Mas não se assuste: tudo faz muito sentido, se casa harmoniosamente e nada poderia ser retirado sem fazer uma enorme falta na história, no enredo, na continuidade da trama. Muito bem escrito.

Mas não é só pela história mágica e cheia de ‘ditos pelos não ditos’ que afirmo nunca ter lido um livro como este. Dito pelo não dito foi escrito por 12 pessoas. A história foi elaborada por Pedro Balboni e Rodrigo Ortiz, porém outras 10 pares de mãos o escreveram.

E aí que está toda magnitude da coisa. Cada capítulo é escrito por um destes autores, e algo interessante pode ser percebido: ao mesmo tempo em que a história continua sem perder seu fio condutor, a cada capítulo podemos notar na sutileza um pouco do perfil de quem escreve, um pouco das diferenças literárias de cada um deles, na forma de expressar e de apresentar a história à imaginação do leitor. É como estar sentado à mesa com um grupo de grandes amigos que estão lhe contando uma deliciosa aventura pela qual passaram. Cada um, com suas palavras, te ajudam a enxergar o todo.

Esta proposta de Pedro e Rodrigo deu muito certo, até porque a própria história tem este perfil de colcha de retalhos, que cada pedaço é único e individual, mas na junção, no todo, oferece uma imagem linda de se ver, como se cada pedacinho de retalho tivesse sido criado única e exclusivamente para compor a colcha. Uma história menos mágica talvez não oferecesse tanta versatilidade para o método usado. Acertaram em cheio!

No final ganhamos um presente, que é a proposta enviada aos autores. Um esquema muito bem feito e refinado nos detalhes que deveria ser lido por todos os autores como um laboratório, em especial quem não tem ainda o hábito de criar a estrutura da sua história antes de colocá-la no papel. É, sem dúvida, didático além de curioso.

Em edição simples, mas cuidadosa, a obra publicada pela Lendari merece ser lida por todo leitor de mente imaginativa e que não se acanha em dar respostas e desvendar obras. Não leia se você gosta de respostas prontas, lineares e simples. Dito pelo não dito é instigante, e você precisa estar aberto à experiência. 😉

Ficha técnica

Título Dito pelo não dito
Autores Alessio Esteves, Carlos Estefan, Carol Chiovatto, Danilo Leonardi, Douglas MCT, Gleice Couto, Kel Costa, Marcelo Del Debbio, Marcelo Saravá, Mário Bentes, Pedro Hutsch Balboni e Rodrigo Ortiz Vinholo
Ilustrações Igum Djorge
Editora Lendari
Páginas 197
Ano 2017
Gênero Fantasia, Magia

Dito pelo não dito

Capa & Diagramação
Narrativa & Diálogos
Enredo
Personagens
Revisão

Muito bom!

Em edição simples, mas cuidadosa, a obra publicada pela Lendari merece ser lida por todo leitor de mente imaginativa e que não se acanha em dar respostas e desvendar obras. Não leia se você gosta de respostas prontas, lineares e simples. Dito pelo não dito é instigante, e você precisa estar aberto à experiência. 😉

Sobre Nadja Moreno

Administradora, professora, blogueira, mãe, leitora voraz. Muitas facetas, uma só alma. Sonho com um país mais leitor, mais crítico, mais evoluído e altruísta.

Veja Também

Resenha | Ponto sem retorno, de Gabriela Simões

Giselle Levy é meio-bruxa e vive isolada do mundo com o seu avô, escondida do …

Lançamento | Os Legados do sol e da lua, de Murillo Magalhães

E esta semana começou a pré venda de “Os legados do sol e da lua“, …

Resenha | Blog 3k, de Michelle Louise Paranhos

Quatro amigas formavam o Quarteto Ternurinha nos Anos 70. Anos depois, seus filhos se reúnem …

Deixe uma resposta

Loading Disqus Comments ...
Loading Facebook Comments ...
Pular para a barra de ferramentas