Resenha | Boneco de Pano, de Daniel Cole

Boneco-de-pano-209x300 Resenha | Boneco de Pano, de Daniel ColeVOCÊ ESTÁ NA LISTA DE UM ASSASSINO. E ELA DIZ QUANDO VOCÊ VAI MORRER.
O polêmico detetive William Fawkes, conhecido como Wolf, acaba de voltar à ativa depois de meses em tratamento psicológico por conta de uma tentativa de agressão. Ansioso por um caso importante, ele acredita que está diante da grande chance de sua carreira quando Emily Baxter, sua amiga e ex-parceira de trabalho, pede a sua ajuda na investigação de um assassinato. O cadáver é composto por partes do corpo de seis pessoas, costuradas de forma a imitar um boneco de pano.
Enquanto Wolf tenta identificar as vítimas, sua ex-mulher, a repórter Andrea Hall, recebe de uma fonte anônima fotografias da cena do crime, além de uma lista com o nome de seis pessoas – e as datas em que o assassino pretende matar cada uma delas para montar o próximo boneco. O último nome na lista é o de Wolf.
Agora, para salvar a vida do amigo, Emily precisa lutar contra o tempo para descobrir o que conecta as vítimas antes que o criminoso ataque novamente. Ao mesmo tempo, a sentença de morte com data marcada desperta as memórias mais sombrias de Wolf, e o detetive teme que os assassinatos tenham mais a ver com ele – e com seu passado – do que qualquer um possa imaginar.
Com protagonistas imperfeitos, carismáticos e únicos, aliados a um ritmo veloz e uma deliciosa pitada de humor negro, Boneco de Pano é o que há de mais promissor na literatura policial contemporânea.

RESENHA

Primeiro livro escrito de Daniel Cole, “Boneco de Pano” (título em inglês “Ragdol” e já traduzido para mais de 30 idiomas) tem um começo eletrizante, pois desde as primeiras páginas somos apresentados ao detetive e sargento William Fawkes, conhecido com Lobo e todos os seus problemas. Com um passado atormentado, ele é tão imprevisível e complexo que penso que nenhum psiquiatra poderia trabalhar com ele (rs).

Quando o detetive Fawkes é chamado para a cena de um terrível crime, há apenas um corpo, mas claramente seis vítimas! Que foram desmembradas, costuradas e amarradas para formar um só corpo, como se fosse um boneco (eca!). E fica pior… O assassino libera uma lista de nomes para a mídia e as datas em que ele pretende matá-los e entrega essa lista à jornalista que é ex-mulher de Fawkes. A própria imprensa se encarrega de chama-lo de “assassino Boneco de Pano”.

Um detalhe: O último nome da lista é o do detetive!

A partir daí, Fawkes e seus colegas Emily Baxter, Simmons, Finley e Edmunds começam a trabalhar contra o relógio para encontrar as vítimas e pegar o assassino. À medida que tentam identificar as partes do corpo, fica claro que há uma ligação entre este caso e um crime antigo em que Fawkes trabalhou. E mais: Não só a mão do corpo apontou para a janela em direção ao seu apartamento do outro lado da rua, mas a cabeça pertencia à um criminoso que ele tinha tentado – sem conseguir – matar em um momento de pura raiva anos antes. Sendo ele o sexto da lista, fica demonstrado ainda mais sua conexão com o caso, o que o deixa mais determinado a resolvê-lo.

Mesmo com todas as dicas dadas pelo assassino, a polícia está sempre um passo atrás… Já que ele antecipa todos os seus movimentos para garantir que as vítimas listadas morram exatamente quando e como ele quer que morram. O melhor do livro é como as seis primeiras vítimas são identificadas e também as razões pelas quais foram escolhidas (existe até um anunciado “horário de assassinato” do assassino).

Com muito humor típico de um inglês, o autor vai nos envolvendo com diálogos rápidos e realistas; a catástrofe segue o desastre e a contagem do corpo continua crescendo. A investigação se transforma em um circo de horrores e nós em espectadores indefesos diante de tanta informação.  E a corrida é para salvar esta vítima, mas também as próximas… E assim por diante.

Além de todo o processo habitual para encontrar o assassino antes que ele mate novamente, a equipe de detetives precisa lidar com um vazamento de informações em seu departamento… À quem interessa disponibilizar as informações? Por quê?

Este livro fala conosco!!! É uma obra criativa e original e em vários momentos fiquei me perguntando… Como será a próxima morte?

Sobre o trabalho gráfico da Editora Arqueiro, são 332 folhas amareladas de uma leitura rápida e capa interessante. Parabéns pela publicação!

 

Boneco de Pano

Capa & Diagramação
Narrativa & Diálogos
Enredo
Personagens
Revisão

Muito bom!

Este livro fala conosco!!! É uma obra criativa e original e em vários momentos fiquei me perguntando... Como será a próxima morte?

Sobre Pedro Moraes

Veja Também

Resenha | Paixão e Crime, de João Paulo Balbino

Paixão e Crime. Duas palavras distintas, porém tão próximas. Não seria surpresa se você conhecesse …

Resenha | Meio Mundo, de Joe Abercrombie

Os tolos alardeiam o que vão fazer. Os heróis fazem. Thorn Bathu não é uma …

Resenha | O Par Perfeito, Livro 3 – Trilogia A Pousada, de Nora Roberts

Mesmo sendo conhecido como o mais durão dos irmãos, Ryder Montgomery deixa as mulheres aos …

Deixe uma resposta

Loading Disqus Comments ...
Loading Facebook Comments ...
Pular para a barra de ferramentas