Início / Resenhas / Literatura Nacional / Resenha | A Guerra dos Anjos – Domínio Espiritual, de Arley França

Resenha | A Guerra dos Anjos – Domínio Espiritual, de Arley França

Guerra_Anjos1-211x330 Resenha | A Guerra dos Anjos – Domínio Espiritual, de Arley FrançaDepois de um planejamento maquiavélico, estruturado em cem anos, os seres infernais conseguiram a maior proeza da história: extinguir a humanidade. Com quase 5 BILHÕES de pessoas mortas, eles colocaram em ação a última parte de seu plano: possuir, com espíritos inferiores, todos os humanos restantes. Mas o que eles não sabiam é que um dentre esses humanos tinha um elemento na alma que não permitiu que ele fosse possuído. Esse humano era o guardado de Caliel, um anjo da casta dos guardadores de Deus.

Agora se iniciará a maior guerra de todos os tempos, com os anjos protegendo esse humano a todo custo, pois ele é o único que pode trazer a humanidade de volta.

Resenha

No prólogo do livro já começamos com uma grande batalha angelical, com graves repercussões para a história. A história em sim começa com casal Aron e Sun preparando-se para uma viagem juntos, mas um acidente aéreo acaba com seus planos, e por pouco não acabando com suas vidas. Após o desastre eles acordam em uma ilha e descobrem que foram os únicos sobreviventes. Mas o que aconteceu foi mais do que um mero acidente, foi um plano diabólico que resultou no apocalipse, na guerra definitiva entre anjos e demônios.

À sua frente, dispunha-se um anjo com uma áurea magnífica. Não pela magnitude, mas sim pela beleza. A energia cintilava nas cores do arco–íris.

Esse é um livro que me trouxe sentimentos bem nostálgicos, me levou aos primórdios da minha “vida virtual”. Quando resolvi adentrar no universo dos fóruns, blogs e comunidades virtuais, precisei achar um nome que a mim significasse algo, que fosse o meu avatar na rede, então ao conhecer um site de angeologia resolvi escolher o nome do meu anjo da guarda como nickname. Qual não foi a minha surpresa ao ver que um dos principais personagens do livro se chamava Haziel… Senti-me fazendo parte da história, quando comecei a ler não consegui mais parar até acabar, queria saber tudo que aconteceria “comigo” na história. Foi uma experiência incrível!

Voltando ao livro, vemos uma trama muito bem elaborada, com personagens e cenários bem descritos, com uma narrativa muito bem estruturada, tornando a leitura bem fluida e intensa. O ponto alto sem dúvida são as imensas batalhas entre os Anjos e os Demônios. Em alguns momentos a escrita do autor me lembrou bastante os anjos de Eduardo Spohr e suas batalhas sobrenaturais que nos transferem para dentro da obra. A narrativa é muito boa, entretanto ao intercalar capítulos com acontecimentos nos tempos atuais e em tempos datados a.C e Antiga Mesopotâmia, ela pode causar confusão em leitores menos atentos e não acostumados a essa estrutura narrativa, mas a mim não causou estranheza. O livro é um pouco volumoso, mas o autor tem uma escrita tão fluida e hipnotizadora que faz com que o leitor continue lendo, sempre ansioso pela página seguinte.

Mostrando os dentes, a fera partiu para o ataque vorazmente, lançando-se com sua arma, em linha frontal, contra o corpo do anjo. Amortecido e pronto para receber a ofensiva, Haziel segurou a empunhadura de sua espada com as duas mãos receptando o ataque, bravamente. As duas lâminas se encontraram e houve um choque radiante de energia sobressalente. Duas cores se confundiam em dourado e purpúreo. Relâmpagos estouravam em clarões reluzentes da disputa.

Alguns pontos da obra merecem ser destacados, entre eles a forma como os humanos foram “dominados”, após serem possuídos os humanos passaram a agir como aqueles zumbis de The Walking Dead (!), caminhando a esmo e sem rumo, mas nem um pouco amistosos. Outro ponto muito curioso foi a forma como Lúcifer foi retratado, bem diferente daquele que conhecemos. Além, é claro, de boa parte das ações se passarem no Brasil, que é algo que sempre me agrada em fantasias nacionais.

Com relação ao projeto gráfico, a capa é muito bem resolvida, uma linda composição. A diagramação é simples com páginas amareladas que não cansam a vista, como de costume da Chiado, e a revisão possui alguns poucos erros que não atrapalham a leitura em nenhum momento.

A Guerra dos Anjos #01 – Domínio Espiritual é uma obra sensacional, uma viagem que te prende do início ao fim, é totalmente indicado para aqueles leitores de uma boa fantasia angelical.

***

Booktrailer

A Guerra dos Anjos – Domínio Espiritual

Capa & Diagramação
Narrativa & Diálogos
Enredo
Personagens
Revisão

Magnífico!

A Guerra dos Anjos #01 - Domínio Espiritual é uma obra sensacional, uma viagem que te prende do início ao fim, é totalmente indicado para os leitores que curtem uma boa fantasia angelical.

Sobre Cleson Cruz

Sou potiguar com muito orgulho, pai e marido. Engenheiro Eletricista e Designer Gráfico de formação. Gosto muito de música e cinema. Sou viciado em séries de TV. E leio muito quadrinhos e livros desde a minha tenra infância.

Veja Também

Resenha | A vida de Paco Paredes, de Pedro Afonso

Os filhos de Paco, o toureiro, nada mais sabem além do fato de que seu …

Literatura Nacional | Série A Caverna Cristalina em evento literário na França!

Dias 22 e 23 de Julho acontece, na França, o Festival Le Dormantastique. A autora …

Resenha | O Poeta, de J.B. Santana

“O poeta é um tremendo filho da lua.” Eu me chamo Antônio Resenha: O Amor …

Deixe uma resposta

Loading Disqus Comments ...
Loading Facebook Comments ...
Pular para a barra de ferramentas