Início / Resenhas / Literatura Nacional / Resenha | Meu Erro Predileto, de Giselle Tavares

Resenha | Meu Erro Predileto, de Giselle Tavares

371273357-200x300 Resenha | Meu Erro Predileto, de Giselle TavaresTítulo: Meu Erro Predileto

Autora: Giselle Tavares

Editora: PenDragon

Gênero: Young Adult

Pré Venda

Sinopse (Fonte: site da editora) Jullyanna vivia um conto de fadas até que ela descobre que o seu príncipe perdeu o encanto e voltou a ser um sapo, transformando sua vida perfeita em um pesadelo. Decidida a nunca mais se apaixonar, e certa de que o amor não existe, ela jura a si mesma que manterá distância do sexo masculino. Tudo está indo perfeitamente bem até que Daniel entra em sua vida. A partir desse momento, ela se vê sem saída e acaba cometendo uma sequência de erros. O que ela não esperava, era que um desses erros, se tornaria o seu erro predileto.

RESENHA

O Escrev’Arte teve a feliz oportunidade de conhecer a obra de Giselle Tavares em primeira mão e posso dizer que foi um presente ler este livro! Giselle, apesar de estreante, possui um tino literário bem maduro e inseriu nesta história os elementos necessários para uma leitura agradável, ágil, interessante e marcante. Certamente vale a pena ler Meu Erro Predileto e qualquer outra obra que esta jovem autora se propuser a publicar. Viagem literária garantida!

Em Meu Erro Predileto acompanhamos a protagonista Jullyanna em suas aventuras e desventuras amorosas. Suas decepções, escolhas certas e erradas, análises certeiras e incorretas da verdade e das ações de quem está à sua volta. Após ser desiludida com seu príncipe encantado ela se propõe a nunca mais se envolver – afinal os homens são todos iguais, não são?. Porém, é claro, um novo garoto entra em sua vida de forma inusitada e um tanto quanto estranha. E, é claro, o coração não acompanha o cérebro – qual coração ouve o cérebro, nesta vida??

Clichê? Sim. Com todo o glamour, amor, singeleza e comicidade que o gênero oferece. Não dá para ser YA sem ser clichê. Mas aí Giselle consegue inserir alguns elementos a mais que dão um ar de suspense, de algo que não está tão bem explicado. É como se a gente soubesse que algo está estranho nas entrelinhas, mesmo que nada seja dito de tão estranho assim durante várias páginas… Este foi um dos pontos que senti esta maturidade literária na autora. Mesmo sem dizer muito, consegue fazer o leitor “enxergar” aquele algo mais. Me fez ficar tirando conclusões ao longo de várias páginas e me decepcionar comigo mesma logo ali na frente. Adorei isso. Desmanchou minhas certezas várias vezes até que “peguei” o enigma! Aí, caro leitor, é momento de dar pulinhos e gritar “EUREKAAA”.

Os personagens são típicos adolescentes. Nos fazem rir, sentir uma raiva insana, nos deixam perplexos com algumas atitudes e dando palmas de alegria em outras. Emoção é algo que não falta nesta fofa história. Em alguns momentos eu tive vontade de desligar o reader (li em formato eletrônico) e ir fazer outra coisa, tamanha era a raiva que sentia da protagonista… mas quem disse que a trama me deixava largar a leitura? Enfim, acabava perdoando as sandices da dita cuja e continuava lendo.

Falando nisso, não queira parar de ler no final de um capítulo. Os finais deles te impedem de conseguir tal proeza…

Falando nos personagens, a gente tem a oportunidade de conhecê-los a fundo nesta trama, porque é escrito em primeira pessoa, mas com diversos narradores. Pois é, esta característica de escrita me encanta. A cada momento lemos os acontecimentos pela perspectiva de um personagem e isso dá um amplitude de visão incrível! Ainda que este recurso nos faça ler mais de uma vez uma mesma cena, um mesmo fato, ele não nos obriga a uma leitura enfadonha. Muito pelo contrário… traz uma dinamicidade muito legal e logo o leitor se pega questionando “qual será a versão disso sob o olhar de tal personagem?“.

Bom, ainda não tive acesso à versão física do livro, mas vi algumas fotos que me garantem que o capricho da PenDragon está ali, presente nas páginas. A capa é fofa e está bem dentro do contexto do livro… Enfim. Se indico? Com certeza! Aposto que você vai se deliciar com Jullyanna e suas peripécias amorosas! Recomendadíssimo!!!

Ahh, sim. Uma dica: cuidado com quem você fica com raiva, ou qual o seu #team durante a leitura. Você pode se contradizer logo ali na frente! 😉

Sobre Nadja Moreno

Administradora, professora, blogueira, mãe, leitora voraz. Muitas facetas, uma só alma. Sonho com um país mais leitor, mais crítico, mais evoluído e altruísta.

Veja Também

Literatura Nacional | O Orfanato da Luz, de Caroline Cristine Pietrobon

A Giz Editorial tem entre seus lançamentos de 2017 a obra O Orfanato da Luz, …

Resenha | O fantástico universo do ser humano, de Carlos Holthausen

“Neste livro, ele analisa a vida de modo geral e especialmente a nossa vida aqui …

Resenha | Oito, de Décio Gomes

Entre o terreno e o etéreo existem muitos mistérios. Entre o céu e o inferno …

Deixe uma resposta

Loading Disqus Comments ...
Loading Facebook Comments ...
Pular para a barra de ferramentas