Início / Resenhas / Literatura Estrangeira / Resenha | Herdeiro de Sevenwaters, de Juliet Marillier

Resenha | Herdeiro de Sevenwaters, de Juliet Marillier

CAPA-Herdeiro-de-Sevenwaters-13_FRENTE-208x300 Resenha | Herdeiro de Sevenwaters, de Juliet MarillierTítulo: Herdeiro de Sevenwaters
Série: Sevenwaters – Livro 4
Autora: Juliet Marillier
Editora: Butterfly
Páginas: 496
Gênero: Fantasia
Fonte: Cortesia da Editora

Skoob
Compre aqui

Sinopse (Fonte: Skoob) O domínio de Sevenwaters é um lugar remoto, estranho, guardado e preservado por homens silenciosos e criaturas encantadas, além dos sábios druidas, que deslizam pelos bosques vestidos em seus longos mantos… Os chefes do clã de Sevenwaters têm sido, geração após geração, os guardiões de um dos últimos refúgios dos Tuatha De Danann, os Seres da Floresta. É nesse cenário, rodeado pela floresta de Sevenwaters, que humanos e criaturas do Outro Mundo convivem ao mesmo tempo em harmonia e desconfiança. Quando Lady Aisling dá à luz um novo herdeiro de Sevenwaters, cabe à sua filha Clodagh a responsabilidade pela casa e pelo irmão. Porém, ele é raptado, e em seu lugar é deixado um ser que pouco lembra um bebê humano. Para recuperá-lo, Clodagh tem que se aventurar no Outro Mundo, acompanhada por um misterioso guerreiro, e enfrentar o poderoso príncipe que agora reina. E a recompensa pode ser maior do que ela imagina…

RESENHA

No quarto e último volume da série Sevenwaters Juliet Marillier nos presenteia com mais uma obra fascinante, repleta de emoções e sensações, dolorosa e emocionante.

O cenário é novamente o domínio de Sevenwaters e toda a magia que envolve os seres da floresta e os chefes do seu clã. Mais uma vez é muito forte o aspecto familiar e hereditário da trama. Desta vez é o filho de Aisling que é o protagonista “subjetivo” da trama. Protagonista subjetivo porque a história toda gira em torno do bebê de Lady Aisling, sem que ele esteja necessariamente presente nas cenas retratadas.

Inclusive, este é um aspecto muito presente em toda a série. Em geral os personagens em torno do personagem central é que fazem tudo acontecer, é quem direciona a trama e assume os papéis, na maioria das vezes pesados, sempre com ações voltadas ao personagem central. Acho magnífica esta roupagem que Juliet Marillier empresta à trama. Torna-a muito dinâmica e complexa.

Neste volume há mais a presença da magia. o bebê “falso” é incrível. A descrição e narrativa da autora nos faz enxergar mesmo aquele bebê quase humano nos braços de Clodagh, sua irmã que acaba sendo responsabilizada pelo sequestro do Herdeiro.

Assim como nas outras obras da série, mais uma vez nos deparamos com muita tristeza. Mais uma vez a mulher tem papel primordial e é ela quem tem o poderio de tudo. É delicioso de se ver a força e magnitude que esta série insere no papel da mulher. São guerreiras, fortes, determinadas e capazes de coisas além da imaginação em prol da sua honra, em prol daquilo que sabem que é preciso ser feito. São heroínas de fato.

Neste volume a “contação de histórias” que permeia o enredo está um pouquinho mais maçante que nos volumes anteriores. Porém com o desenrolar da trama percebemos a ligação de tudo, e aquilo que pareceu um tanto moroso atrás se torna absurdamente justificável ali adiante. Portanto, leitor, ainda que pareça um tanto desapegado do enredo, leia com muita atenção os contos apresentados pelos personagens, nas noites de convivência em Sevenwaters.

Amor avassalador e genuíno ainda está presente na série. Nada de clichê, nada de água com açúcar, nada de facilidade. Novamente o amor faz doer na pele, como certamente é todo amor visceral. O romance nesta série é de nível superior.

Enfim, embora seja um livro adicionado ao que inicialmente era uma trilogia, a autora não fugiu das características centrais da história e não pareceu, de forma alguma, um livro forçado, como quem não tivesse coragem de deixar a história terminar. Não. Seu peso se equipara aos outros três anteriores e mantém a história viva com a qualidade que a série merece.

A edição da Butterfly está muito bem feita, cuidadosa. É um presente para sua estante de livros! Recomendo a leitura. Deixe-se aventurar por esta história forte e consistente que se apresenta na Série Sevenwaters!

 

Sobre Nadja Moreno

Administradora, professora, blogueira, mãe, leitora voraz. Muitas facetas, uma só alma. Sonho com um país mais leitor, mais crítico, mais evoluído e altruísta.

Veja Também

Resenha | Os Filhos da Tempestade, de Rodrigo de Oliveira

Uma aventura surpreendente, em um dos lugares mais misteriosos da terra. Um grupo de jovens …

Resenha | Seres do Além, de Clayton De La Vie

Uma única missão leva os irmãos Christine, Nicolas e David Richard a se embrenharem por …

Resenha | Tronos & Ossos – Jornada no Gelo, de Lou Anders

Trolls fedidos, zumbis ameaçadores e um dragão cuspidor de fogo não são páreo para Karn …

Deixe uma resposta

Loading Disqus Comments ...
Loading Facebook Comments ...
Pular para a barra de ferramentas