Início / Resenhas / Literatura Nacional / Resenha | Ext…, de Anthony Hal

Resenha | Ext…, de Anthony Hal

ext_capa-196x300 Resenha | Ext..., de Anthony HalTítulo: Ext… – Um dia a evolução não precisará mais de nós

Autor: Anthony Hal

Editora: Schoba

Página: 204

Gênero: Ficção científica

Fonte: Cortesia da Editora

Skoob

Compre aqui

Sinopse (Fonte: Skoob) No início do século XXI a ciência afirmava que entre os anos de 2020 e 2050 a capacidade de processamento de sistemas cibernéticos criados pelo homem alcançaria a capacidade de processamento da mente humana em seu atual estado de evolução. Também no início do século XXI a ciência dava início a revoluções que para sempre mudariam a estrutura da civilização humana. Após o século XXI várias das promessas da ciência se tornaram realidade, e muitas ameaçavam se tornar pesadelos. A evolução da natureza humana não acompanhou a vertiginosa evolução tecnológica que a espécie experimentou, e apesar das possibilidades disponíveis, os problemas sociais e conflitos se agravaram e a desigualdade social se tornou também uma extrema desigualdade de acesso às maravilhas tecnológicas. Neste momento crítico da história da humanidade, ocorre o nascimento de uma forma de inteligência artificial singular, capaz de fazer uma assombrosa descoberta sobre o papel da humanidade, e sobre o seu próprio papel na história do universo, frente aos possíveis futuros que ambas as formas de vida podem enfrentar. Criada para destruir todos os humanos, essa mente cibernética avançada demonstra ao seu mentor que ao contrário do que ele imaginava o seu nascimento e o projeto que eles criarão, representam exatamente o crítico passo evolutivo que a vida neste planeta estava aguardando. É possível que exista um objetivo para a existência da vida no universo, e é possível que haja um futuro para a evolução da vida que surgiu no planeta Terra dentro deste contexto. Mas é provável que, ao contrário do que pensa de forma ingênua a mente humana, este não será um futuro humano.

RESENHA

Quando tratamos do termo “evolução” na verdade estamos falando do quê? Evolução do ser humano? Mas o universo não é absurdamente maior e mais duradouro do que o ser humano? Comparando o tempo de existência dos seres vivos e do universo chega a ser interessante falar de evolução do ser humano. O planeta em que vivemos já existe há 4,5 bilhões de anos. Os primeiros seres vivos surgiram possivelmente há 3,5 bilhões de anos. O ser humano, mesmo que contemos desde o seu pré histórico ancestral, data de cerca de “apenas” 13 milhões de anos. Quem está evoluindo na verdade? O que é a EVOLUÇÃO?

Num relato único e peculiar, Anthony Hal trabalha neste livro estes questionamentos profundos que muitos de nós, se não todos, já fizemos. De onde viemos e para onde vamos? Qual será o futuro do universo? A tecnologia é um bem ou um mal iminente?

O relato começa descrevendo as ações de dois homens, um intitulado “homem do passado” e outro “homem do futuro”. Em seguida foca-se no homem do passado, suas descobertas, seus ideais, sua ciência e descobertas. O homem do passado cria uma inteligência artificial com capacidades inimagináveis e nomeou-a TLq. Em dado momento, o homem do passado decide romper as barreiras de segurança mundialmente adotados acerca dos limites destas inteligências artificiais e a partir daí desencadeia-se um diálogo questionador, único, amplo e extremamente inteligente. Há considerações não só sobre a evolução e o que realmente este termo quer dizer, mas também quanto a todo o desdobramento das mudanças que ocorrem e ocorrerão na história, bem como os porquês destas mudanças.

Anthony de fato fez um livro profundo e de qualidade. Sua maneira de escrever é um tanto única e, posso dizer, incômoda a princípio. É uma narração. O leitor não se sente inserido na história mas sim como se estivesse num plano superior “assistindo” e “ouvindo” os acontecimentos, que na verdade são apenas conversas e conjecturas entre o homem do passado e TLq. Mas este incômodo desaparece assim que o leitor vai se inserindo no relato e, fatalmente, começa a questionar as verdades apresentadas ali e as suas próprias verdades. Achei um exercício muito interessante.

“Um dia a evolução não precisará mais de nós” é uma frase que de fato traduz o cerne da história. Neste livro o autor desenvolve a ideia de que o que evolui, na verdade, é o Código Genético. O código genético é que precisa se perpetuar e não importa, na verdade, o invólucro que o envolve. Ele só precisa chegar em sua amplitude, e este desenvolvimento, esta evolução do Código Genético, que existe desde o início da existência do universo, explica tudo o que sabemos e conhecemos. Explica a inevitável consequência futura de tudo que foi criado até hoje. O código sobreviverá, a despeito do que possamos decidir. Mesmo sem querer, fazemos o que ele define, para que ele possa se perpetuar. Sem dúvida nenhuma, o autor desenvolveu um questionamento que pode mexer com as certezas de muitos de nós.

Em suma, não é um livro fácil ou de leitura fluída. É mais um exercício de saída da zona de conforto e um exercício mental e raciocínio. É inteligente e instigador.

A edição da Schoba está muito bem feita, mesmo que simples. A capa não poderia traduzir melhor seu conteúdo e a diagramação oferece leitura agradável. Encontrei poucos erros de revisão.

Recomendo a todo leitor que não tem preguiça de pensar. E que não tem medo de ter suas certezas postas em xeque.

 

Sobre Nadja Moreno

Administradora, professora, blogueira, mãe, leitora voraz. Muitas facetas, uma só alma. Sonho com um país mais leitor, mais crítico, mais evoluído e altruísta.

Veja Também

Resenha | Tempestades de Sangue, de Kel Costa

Sasha está desolada pela morte de sua amiga Helena, que morreu diante de seus olhos …

Resenha | Alec Dini, de F. R. Pan

Quando o jovem Alec Dini é misteriosamente transportado ao futuro, ele não faz ideia dos …

Resenha | Os Sete, de André Vianco

Uma caravela portuguesa de cinco séculos é resgatada de um naufrágio no litoral brasileiro. Dentro …

Deixe uma resposta

Loading Disqus Comments ...
Loading Facebook Comments ...
Pular para a barra de ferramentas