Início / Resenhas / Literatura Estrangeira / Resenha | A Segunda Guerra Mundial, de Antony Beevor

Resenha | A Segunda Guerra Mundial, de Antony Beevor

8ac4d6e6-ad17-4c78-8026-a2baaa54cf72-200x300 Resenha | A Segunda Guerra Mundial, de Antony BeevorTítulo: A Segunda Guerra Mundial
Autor: Antony Beevor
Editora: Record
Páginas: 952
Gênero: Documentário, História
Fonte: Cortesia da Editora

Skoob
Compre aqui

Sinopse (Fonte: Skoob) A maior guerra de todos os tempos, de um jeito que você nunca viu. Ao empregar o ímpeto narrativo que fez de seus livros Stalingrado, Berlim 1945 e Dia-D best-sellers internacionais, Antony Beevor apresenta os vários aspectos da Segunda Guerra de um modo completamente novo. Com base nas pesquisas e informações mais atuais a respeito do tema, e por meio de um texto claro e apaixonante, Beevor traça um panorama que se estende do Atlântico Norte ao Pacífico Sul. Apesar de pintar o cenário mais amplo do conflito em sua escala heroica, A Segunda Guerra Mundial nunca perde de vista o destino dos soldados e civis comuns cujas vidas foram esmagadas pelas forças tirânicas da mais terrível guerra da história.
Antony Beevor é internacionalmente aclamado por seus livros sobre história mundial, que já venderam mais de 5 milhões de exemplares ao redor do mundo e foram traduzidos para mais de trinta línguas. Pela Editora Record, publicou: Creta: batalha e resistência na Segunda Guerra Mundial, Stalingrado: o cerco fatal, Berlim 1945: a queda, O mistério de Olga Tchekova e Dia D: a batalha pela Normandia. Este ano de 2015 marca o aniversário de 70 anos do fim da Segunda Guerra Mundial.

RESENHA

Quem se interessa por história não pode deixar de ler este livro! Deveria ser leitura obrigatória no meio acadêmico e em todos os locais onde a lembrança das atrocidades da guerra possam ser usadas como direcionador das atitudes e decisões. Todo político e todos aqueles que detêm o poder deveriam ler e se lembrar dos detalhes dos bastidores, na maioria das vezes sórdidos, que deram o tom às barbáries apresentadas nessas páginas.

Antony Beevor sabe o que faz quando se trata de relato histórico. As quase mil páginas deste livro são recheadas de um relato claro, direto, detalhado e profundo. Apesar de bastante grande e de ser um relato – não há diálogos ou pausas – o livro pode ser lido e absorvido com até uma certa agilidade, tendo em vista sua linguagem clara e livre de rebuscamentos desnecessários.

Lendo estas páginas me lembrei bastante de alguns documentários sobre a Segunda Guerra Mundial assistidos em canais pagos. A forma que Beevor conta traz uma visão quase que cinematográfica de tudo que aconteceu antes, durante e depois da guerra.

A história é contada em detalhes desde muitos anos antes do início oficial da guerra, antes de Hitler invadir a Polônia. Afinal, um conflito destas proporções de fato indicam um conflito interno muito maior e mais amplo, que aquele geralmente noticiado.

Neste relato Beevor apresenta detalhes pouco difundidos e até desconhecidos pela maioria das pessoas que só “ouvem contar” sobre a Guerra. Atrocidades que fazem o leitor sentir o coração acelerado e gerar uma fisionomia de asco e pavor, frente ao que os envolvidos eram capazes de fazer com o “inimigo”. É extremamente doloroso em muitos, muitos detalhes desta narrativa histórica.

Beevor apresenta um relato cronológico detalhado, quase que contando dia a dia o que acontecia, e em mais de um lugar ao mesmo tempo, em diversas vezes. Conta sobre as artimanhas políticas internas e muitas culpas transferidas. Fala sobre decisões que foram acertadas, mesmo sem querer, e outras que se tornaram um “tiro pela culatra”. Mostra o outro lado da Guerra, que financia e gera renda a alguns poucos interessados. Define o papel de cada um dos envolvidos, não diminuindo o peso da culpa de Hitler, mas trazendo à culpa atos de tantos outros envolvidos que nem sempre nos lembramos. Relata a morte atroz de incontáveis civis, que estava simplesmente no lugar errado ou infelizmente na rota de interesses muito maiores que suas preciosas vidas.

É uma leitura dolorida mas necessária. Esquecer os detalhes dos fatos, pode gerar erros e ações tão ou mais grotescas como as do passado.

No centro do livro há um grupo de imagens que merecem um tempo de olhar e contemplação respeitosa. Além disso muitos mapas e imagens são inseridas ao longo da história. Achei os mapas muito importantes para que possamos localizar bem os locais dos conflitos e por onde as ocupações eram realizadas. É de fato um livro muito visual.

Enfim, recomendo fortemente a leitura. Mesmo que você demore, mesmo que leia um grupo pequeno de páginas a cada vez, mesmo que precise de uma boa dose de café para dar conta de digerir muito do que é contado ali… o importante é que você leia. Leia e conheça detalhes do que se é capaz de chegar quando há um acúmulo de sequencias desastrosas daqueles que detêm o poder, e que dia a dia acalentam o desejo de se sobrepor, não importa sobre o que seja.

A Edição da Record faz jus à obra! Bem feita, boa revisão, qualidade que faz com que, mesmo com tantas páginas, o livro seja um tanto quando leve e de manuseio tranquilo, não gera medo de “desmanchar”… muito bem feito.

 

Sobre Nadja Moreno

Administradora, professora, blogueira, mãe, leitora voraz. Muitas facetas, uma só alma. Sonho com um país mais leitor, mais crítico, mais evoluído e altruísta.

Veja Também

Resenha | Doadores de Sono, de Karen Russell

Título: Doadores de Sono Autora: Karen Russell Editora: Record Páginas: 168 Gênero: Ficção Científica, Suspense …

Resenha | Pompeia, de Mary Beard

Título: Pompeia – A vida de uma cidade romana Autora: Mary Beard Editora: Record Páginas: …

Resenha | O Quinto Evangelho, de Ian Caldwell

Título: O Quinto Evangelho Autor: Ian Caldwell Editora: Record Páginas: 560 Gênero: Thriller Investigativo Fonte: …

Deixe uma resposta

Loading Disqus Comments ...
Loading Facebook Comments ...
Pular para a barra de ferramentas